domingo, 14 de abril de 2013

Porque aqueles de esquerda detestam a Thatcher?. Por Robert Ellery.

Direto do blog do Adolfo
Tenho visto várias manifestações de ódio a Margaret Thatcher. É estranho, a Dama de Ferro governou seu país por mais de dez anos sem mudar as leis para se manter no poder, sem mandar adversários políticos para cadeia, sem nunca ter tentado um golpe ou fechado órgãos de imprensa críticos a seu governo. Todas estas medidas muito comuns para o alguns ícones da democracia de nuestra América. Desta forma era de se esperar que tanto tempo no poder, ainda mais em um regime parlamentarista, fosse consequência do apoio de seu povo. É bem verdade que os protestos estão associados a figuras de esquerda especialistas na área de reescrever a história. O mesmo tipo de gente que canta loas a popularidade dos governantes petistas e afirmam que nunca um governo foi tão aceito pelo povo enquanto jogam para debaixo do tapete da história que FHC foi eleito e reeleito em primeiro turno, para turma da patrulha anti-FHC aviso que não votei nele (nem em ninguém) em nenhuma das vezes. O verdadeiro motivo do ódio a Thatcher é o mesmo do ódio a FHC. Ambos ousaram obter sucesso usando fórmulas criticadas pela esquerda. Mas tratemos de Thatcher no momento. Sob seu governo a inflação caiu de 27% em 1975 para 2,4% em 1986, tudo isto enquanto fazia o Reino Unido crescer mais do que vinha crescendo nos últimos anos. A figura mostra o PIB per-capita do Reino Unido como proporção do PIB per-capita americano. Em 1979, quando tomou posse, a relação era de 65,4% quando saiu do governo em 1990 era de 72,7%. Para dar noção de grandeza em 1970 era 66,2%, ou seja, Lady Thatcher reverteu a trajetória de crescimento do Reino Unido enquanto combatia a inflação (que bela lição em tempos que acreditam que é preciso inflação para crescer). Mas ainda, ao contrário de certos milagreiros locais que geram crescimento no curto prazo e depressão menos de uma década depois, as bases para o crescimento lançadas por Margaret Thatcher eram sólidas, dez após sua saída do poder a relação era de 75,6%. Apenas para comparação no Brasil esta mesma relação saiu de 26% em 1979 e caiu para 19,7% em 1990 e na França a variação foi de 83,5% em 1979 para 82,7% em 1990. Enquanto acabava com a inflação e fazia a economia crescer Lady Thatcher ainda arranjou um tempinho para enterrar de vez a finada URSS e mandar os generais argentinos para casa. É muito sucesso para uma pessoa só, é imperdoável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário