quarta-feira, 2 de março de 2011

Keynes: uma mente confusa.

Todo mundo sabe que o livro mais importante do Keynes é muito mal escrito, mal organizado e extremamente confuso na definição dos conceitos. Até mesmo famosos economistas keynesianos como o Samuelson e o Hicks reconhecem que a A Teoria Geral não é um livro fácil de ser lido e entendido. Pois bem, quando no primeiro ano de graduação em economia, eu li tal livro. Li a versão da coleção Os Economistas, mas confesso que não entendi muito bem, pensei que era porque estava apenas começando o curso e não entendia muito de economia para ler um livro tão influente no pensamento econômico. Enfim, estou lendo novamente, uma versão em inglês, e agora vejo que o livro é realmente muito tosco. Keynes tem extrema dificuldade em raciocinar logicamente e seus argumentos são fracos e falhos. Vou compartilhar neste blog algumas atrocidades cometidas pelo grande Lorde Keynes em seu livro. Vou começar pela incapacidade do último grande economista inglês em definir conceitos.
Rothbard disse que o grande mérito de Keynes não foi criar algo novo, mas sim dar nova cara e uma aparente lógica econômica para idéias antigas, muitas das quais de caráter mercantilista, inflacionário e até mesmo marxista. A essência da crítica de Keynes à economia clássica está em sua débil refutação do que é conhecido na economia como Lei de Say. Resumindo, nem tudo que é poupado é investido porque em uma economia monetária os agentes vêem a moeda como um ativo de seu portfólio devido à sua função de reserva de valor. Desta forma, a preferência pela liquidez que os agentes possuem faz com que a moeda seja retida como forma de riqueza e o valor dessa propriedade da moeda aumenta em ambientes de incerteza, pois esta não probabilística e toda aquela besteira que conhecemos muito dos nossos amigos keynesianos. Dentro deste framework é fácil de entender porque a receita dos keynesianos para os problemas econômicos é sempre aumentar o consumo e o investimento, o governo tem que agir de forma a criar novas oportunidades de investimento para incitar o “animal spirit” dos empreendedores e assim também elevar o investimento privado. A poupança na mente keynesiana é sempre vista como algo ruim, algo que deve ser evitado. Pois bem, vejam a definição do próprio Keynes sobre o que é poupança e o que é investimento:

No capitulo 6,

“Whilst, therefore, the amount of saving is an outcome of the collective behaviour of individual consumers and the amount of investment of the collective behaviour of individual entrepreneurs, these two amounts are necessarily equal, since each of them is equal to the excess of income over consumption. Moreover, this conclusion in no way depends on any subtleties or peculiarities in the definition of income given above. Provided it is agreed that income is equal to the value of current output, that current investment is equal to the value of that part of current output which is not consumed, and that saving is equal to the excess of income over consumption—all of which is conformable both to common sense and to the traditional usage of the great majority of economists—the equality of saving and investment necessarily follows. In short,
Income = value of output = consumption + investment.
Saving = income − consumption.
Therefore:
saving = investment. “

Ou seja, o próprio grande Keynes define poupança e investimento de uma forma em que não são apenas iguais em valor, mas são necessariamente a mesma coisa. No começo do capitulo 7 ele reconhece isso:
“In the previous chapter saving and investment have been so defined that they are necessarily equal in amount, being, for the community as a whole, merely different aspects of the same thing.”

É engraçado ver o quão confusa é a mente do Keynes. Como a poupança pode ser ruim e o investimento pode ser bom se os dois são necessariamente iguais em valor e aspectos diferentes da mesma coisa? O triste é ver que os herdeiros de Keynes sofrem da mesma falta de lógica e coerência e ainda assim estão presentes na formulação das políticas econômicas.

4 comentários:

  1. ow bichona... vai ver tevê caralho!
    férias, carnaval, e vc lendo teoria geral?

    motivação é mato!

    abração,
    rodrigo

    ResponderExcluir
  2. Professor de Macro Pos-Keynesiana da UNB5 de maio de 2012 10:24

    Cara,
    Sempre é bom contar com os seus elogios.
    Por isso, considero você como o meu melhor aluno.

    ResponderExcluir
  3. Fala Flaviao, coloquei aquele algoritmo do MQO no meu blog. De uma olhada.

    ResponderExcluir