terça-feira, 18 de maio de 2010

Uma carta para Ronnie. Por Lars Ulrich.

O site oficial do Metallica foi atualizado com a seguinte carta de Lars Ulrich, a respeito do falecimento de Ronnie James Dio:

A original.

Dear Ronnie,
I just got off stage in Zagreb. I was met with the news that you've passed on. I'm kind of in shock, but I wanted you to know that you were one of the main reasons I made it onto that stage to begin with. When I first saw you in Elf, opening for Deep Purple in 1975, I was completely blown away by the power in your voice, your presence on stage, your confidence, and the ease with which you seemed to connect to 6000 Danish people and one starry-eyed 11 year old, most of whom were not familiar with Elf's music. The following year, I was so psyched when I heard the results of you joining forces with my favorite guitar player. You guys sounded so right for each other and I instantly became Rainbow's #1 fan in Denmark. In the fall of 1976, when you played your first show in Copenhagen, I was literally in the front row and the couple of times we made eye contact you made me feel like the most important person in the world. The news that you guys were staying in town on your day off somehow embedded itself in my brain and I made the pilgrimage to the Plaza Hotel to see if I could somehow grab a picture, an autograph, a moment, anything. A few hours later you came out and were so kind and caring... pictures, autographs and a couple minutes of casual banter. I was on top of the world, inspired and ready for anything. Rainbow came to Copenhagen a couple more times over the next few years and each time you guys blew my mind, and for a good three years were my absolute favorite band on this planet. Over the years I've been fortunate enough to run into you a half dozen times or so and each time you were as kind, caring and gracious as you were in 1976 outside the hotel. When we finally got a chance to play together in Austria in 2007, even though I may not have let on, I was literally transformed back to that little snot nosed kid who you met and inspired 31 years earlier and it was such a fucking honor and a dream come true to share a stage with you and the rest of the legends in Heaven and Hell. A couple of weeks ago when I heard that you were not going to be able to make it to the Sonisphere shows that we would be sharing this June, I wanted to call you and let you know that I was thinking of you and wish you well, but I kind of pussied out, thinking the last thing you needed in your recovery was feeling obligated to take a phone call from a Danish drummer/fan boy. I wish I'd made that call. We will miss you immensely on the dates, and we will be thinking of you with great admiration and affection during that run. It seemed so right to have you out on tour with the so-called “Big Four” since you obviously were one of the main reasons that the four bands even exist. Your ears will definitely be burning during those two weeks because all of us will be talking, reminiscing and sharing stories about how knowing you has made our lives that much better.

Ronnie, your voice impacted and empowered me, your music inspired and influenced me, and your kindness touched and moved me. Thank you.

Much love,

Lars


A tradução do site www.metalremains.com

Querido Ronnie,

Eu acabei de sair do palco em Zagreb. Eu recebi a notícia de que você se foi. Eu estou meio em choque, mas eu quero que você saiba que você era uma das principais razões de eu ter chegado até este palco, para começar. Quando eu te vi pela primeira vez no Elf, abrindo para o Deep Purple em 1975, eu fui detonado pelo poder de sua voz, sua presença de palco, sua confiança, e a facilidade com que você parecia se conectar com os 6 mil dinamarqueses e um menino de 11 anos estarrecido, a maioria que não estava familiarizado com a música do Elf. No ano seguinte, eu estava tão animado quando ouvi os resultados de você juntando forçar com meu guitarrista favorito. Vocês soavam tão certos um para o outro e eu instantaneamente tornei o fã número 1 do Rainbow na Dinamarca. No outono de 1976, quando você tocou seu primeiro show em Copenhagen, eu estava literalmente na primeira fila e as poucas vezes que tivemos contato visual, você me fez sentir a pessoa mais importante do mundo. A notícia de que vocês ficariam na cidade no dia de descanso, de alguma forma grudou no meu cérebro e eu fiz a jornada até o Plaza Hotel para ver se eu poderia de alguma forma conseguir uma foto, um autógrafo, um momento, qualquer coisa. Algumas horas depois você saiu e foi tão gentil e atencioso... Fotos, autógrafos e alguns minutos de brincadeiras casuais. Eu estava no topo do mundo, inspirado e pronto para qualquer coisa. Rainbow veio a Copenhagen mais algumas vezes nos anos seguintes e cada vez vocês detonavam minha mente, e por uns bons três anos vocês foram minha banda favorita absoluta neste planeta. Durante os anos, eu fui sortudo o suficiente em cruzar com você meia dúzia de vezes mais ou menos, e cada vez você era tão gentil, atencioso e gracioso como foi em 1976 fora do hotel. Quando nós finalmente tivemos a chance de tocarmos juntos na Áustria em 2007, mesmo que eu não tenha deixado transparecer, eu fui literalmente transformado de volta naquele garoto ranhento que você encontrou e inspirou 31 anos antes, e foi uma grande honra e um sonho que se tornou verdade compartilhar um palco com você e o resto das lendas no Heaven and Hell. Algumas semanas atrás quando eu ouvi que você não conseguiria tocar nos shows do Sonisphere que nós compartilharíamos em Junho, eu queria te ligar para que soubesse que eu estava pensando em você e te desejar bem, mas eu meio que fugi, achando que a última coisa que você precisaria em sua recuperação era se sentir obrigado a receber uma chamada de um fã/baterista dinamarquês. Eu gostaria de ter feito essa chamada. Nós sentiremos muito sua falta nas datas, e nós pensaremos em você com grande admiração e afeto durante esse trajeto. Parecia tão certo ter você em turnê com os chamados "Big Four" já que obviamente você era uma das principais razões das quatro bandas até existirem. Seus ouvidos definitivamente queimarão durante essas duas semanas porque todos nós falaremos, relembraremos e compartilharemos histórias sobre como te conhecer tornou nossas vidas muito melhor.

Ronnie, sua voz impactou e me deu forças, sua música me inspirou e influenciou, e sua generosidade me tocou e me moveu. Obrigado.

Com amor,

Lars

Nenhum comentário:

Postar um comentário